Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sobrevive-se

Sobrevive-se

13
Nov20

Oportunidades de mercado

Costa

Amanhã e depois, se bem percebo, durante o período de recolher obrigatório, poderei ir ao minimercado a poucas dezenas de metros de casa: é uma loja de produtos alimentares, tem saída directa para a rua e manifestamente menos de 200 m2; creio que nada me impedirá portanto de lá ir, por exemplo, comprar uma refeição congelada. Mas ao restaurante - aos restaurantes, na verdade - na mesma rua, não poderei ir, nem mesmo para recolher uma refeição em "take away"; terá que ser uma dessas empresas que, muito naturalmente, se fazem pagar por esse serviço.

Oportunidades de mercado.

11
Nov20

Porquê?

Costa

Corre por estes dias uma muito grande e muito conveniente - e muito estremecida e convenientemente acarinhada - comoção pela Pátria, a propósito de um acordo relativo ao governo de uma região autónoma. O sr. ministro dos negócios estrangeiros, na ânsia de malhar que lhe é conhecida e que ou é desabrida ou se refugia, hipócrita, em mal sucedidas tentativas de ironia (não a faz quem quer, antes quem sabe, e da arte da retórica parlamentar pouco resta), terá dito hoje, no parlamento, que não seria "fofinho" (creio que foi a expressão) com tiranos. O sr. primeiro-ministro, com a desfaçatez que lhe é tão própria - e em qualquer caso, e até ver, lucrativa - manifestou sobre esse acordo, numa ou noutra entrevista ou declaração, o horror pelo pisar de, parece, uma sagrada linha vermelha. Leio o editorial de um abjectamente submisso e politicamente correctíssimo jornal - cujo único mérito sobrante, desaparecido Vasco Correia Guedes, parece ser o de se não ter, ainda, rendido ao repugnante acordo ortográfico de 1990 - e apercebo-me (nem seria preciso, enfim, ler esse editorial) de um frenético rasgar de vestes onde se aponta aliás, em comoção mal-contida, para um abaixo assinado que tem o seu quê de idiotia útil.

Um acordo à direita (de âmbito regional, note-se; e que, como alguém ontem dizia na televisão - mesmo que criticando-o - deverá significar em termos económicos, e na frieza destes, menos do que o município de Oeiras) desencadeia tudo isto. Um acordo à esquerda celebrado há uns anos e que leva a que o primeiro-ministro desta choldra torpe seja quem é, nada suscitou a não ser o rasgado elogio às capacidades políticas do dito primeiro-ministro. O que se disse sobre a iniquidade do dito acordo rapidamente se esqueceu. Foi metódica e obedientemente levado ao esquecimento.

E daqueles, cada vez menos que podem ter voz pública e não seguem a ordem estabelecida ninguém disse, ninguém diz, de forma clara, explícita, cristalina - a propósito do justissímo horror aos extremos -, que esse acordo à esquerda foi celebrado com quem seguiu e delas nunca se desmarcou taxativamente, e ainda as celebra, ideologias e ditaduras que mataram mais, bem mais, do que, recorrendo ao exemplo clássico do Mal, o nazismo.

Porquê?

06
Nov20

Nem que uns minutos, apenas.

Costa

Eric Arthur Blair - isto é, George Orwell - e Raul Brandão. A cada um seu refúgio de bom senso ou elementar decência, mesmo que datado, por estes dias de COVID e eleições norte-americanas. Disso e outras coisas. E perante o reforçado poder da mediocridade triunfante, da demagogia impante, da ignorância mais arrogante, da impunidade descarada, da básica estupidez que se toma por justiceira e é aplaudida neste tempo onde me aconteceu viver (viver e ir pagando-o). Depois, creio que voltarei a Eça por Gaspar Simões.

É isto. Enquanto dele - deste tempo - me puder, nem que uns minutos apenas, por dia, afastar.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub