Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sobrevive-se

Sobrevive-se

17
Mai22

Da humana superioridade.

Costa

Leio num jornal "online" que um ucraniano terá caminhado centenas de quilómetros, em busca de alguma segurança, acompanhado da sua cadela. O animal terá ferimentos resultantes do longo esforço e de ter passado por áreas onde abundantes destroços de guerra lhe terão provocado lesões nas patas. O dono (deixemo-nos por favor dessas idiotices, fundamentalmente de inútil ociosidade, que pretendem impor o "tutor"), manifestando imensa ternura e grande preocupação pela saúde da cadela, terá solicitado apoio financeiro para os cuidados veterinários que se revelam necessários. Parece que o apelo - "crowdfunding", chama-se-lhe por estes dias - terá sido bem sucedido.

E logo pude ler, em comentário de um leitor desse jornal, a inevitável e indignada referência às crianças que morrem de fome em África (e, já agora, não é só lá) enquanto alguém tem a intolerável ousadia de se preocupar com o sofrimento de um animal dito irracional. Como se a dignidade e a protecção da espécie humana tivesse que ser defendida em oposição - e por exclusão - ao bem-estar de todos os restantes animais. Como se fosse inaceitável, um crime insuportável, que enquanto houver um humano com fome, sem abrigo, sem cuidados de saúde, se preocupe alguém com a condição dos restantes animais. Como se estes fossem culpados da loucura humana e das suas consequências. A loucura do Homem, esse ser alegadamente racional e que parece ver nessa racionalidade todos os direitos e nenhum dever.

Coisa muito em voga nestes tempos em que tanto se critica quem, em idade fértil, acolhe e protege animais e não tem filhos. Talvez fosse, na verdade, preferível cuidar de saber das razões de, nestes tempos, não ter (de não poder ter, de racionalmente entender não ter) filhos. É que nem sempre é por uma eternizada, estúpida, imaturidade que rejeita responsabilidades e tem da vida uma visão mais e mais hedonista (que existe, de facto, e cresce).

Essa, aliás, nem para os animais é boa. 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub